10 dicas de viagem que só uma mãe pode dar


Oba! Para comemorar o dia das mães - que será nesse próximo fim de semana - a mãe dos malinhas aqui desse blog vai participar da blogagem coletiva "10 dicas de viagem que só uma mãe pode dar". Muito feliz de fazer parte dessa comunidade linda de famílias viajantes, sou fã de várias delas!

Aqui vão as minhas dicas:

1- Acostume os pequenos a viajar desde bem pequenininhos
Nós viajamos de carro, por longas distâncias, desde que nossos malinhas nasceram. Minha família mora a 2 horas de carro de nós, então desde bebezinhos se acostumaram com essa distância. Minha malinha mais velha não tinha nem 2 meses quando viajamos só nós duas pra lá; quando o menor nasceu, peguei a estrada com os dois - ela com 3 anos recém-feitos, ele praticamente recém-nascido. E temos a sorte de nenhum dos dois enjoar no carro! Hoje em dia - com 7 e 4 anos - dificilmente reclamam durante as viagens.

2- Converse com as crianças e explique bem como será a viagem
A gente acha que eles não entendem, mas explique sempre: se vai demorar pra chegar, se vai ter escala, o que vão ver, onde vão ficar, diga o nome das cidades/ países onde irão. Não tenha preguiça de repetir, pois quanto menor a criança, mais confirmações ela precisa.

3- Arme-se de entretenimentos
Principalmente se a viagem for longa (a viagem em si e/ou a temporada longe de casa). Aqui a regra é cada um preparar sua mochilinha de brinquedos - eles têm uma mochilinha daquelas da Skip Hop, que eles mesmos conseguem carregar nas costas. A mais velha já sabe bem o que levar, o pequeno normalmente pega dois carrinhos e fala que está bom (e eu complemento sem ele ver rsrs). O bom é levar coisas pequenas e variadas, que eles gostem bastante de brincar. Se eles gostam de dormir com um bichinho ou bonequinho (aqui eles gostam), não se esqueça de colocar na mochila.
Para viagens de carro preparamos também uma bolsinha com dvds e o dvd portátil, levamos os tablets carregados (cada um tem um bem simplezinho, só com joguinhos), uma sacola com comida e bebida (biscoitos, frutas, água), livros, papel e lápis... vale o que eles gostarem. Normalmente vou oferecendo aos poucos, conforme bate o tédio, para não esgotar logo todas as possibilidades.

4- Escolha destinos inusitados
Se fôssemos só eu e marido, provavelmente o pantanal estaria num dos últimos lugares da lista de "viagens a fazer" - ainda mais eu que não sou muito fã de natureza que não tenha praia no meio. Mas por causa dos malinhas fizemos essa viagem, que foi super marcante pra todos nós. Eles amam bichos, e apesar de morarem em apartamento desde que nasceram, adoram passear ao ar livre. Com um pouco de planejamento e flexibilidade dá pra agradar todo mundo e ainda criar memórias (boas) inesquecíveis.

5- Não se importe em sair da rotina
Quando minha malinha mais velha tinha 6 meses fomos para Gramado. Eu, mãe de primeira viagem, sofri pra manter a rotina que ela estava acostumada... mas na verdade, principalmente com bebês, dá pra ser bem flexível. É só tomar cuidado com a fome e com o sono, pois estes sim deixam qualquer criança (qualquer um, na verdade) irritada. Carrinho e sling valem ouro nesses momentos!Deu sono, melhor parar e descansar, tirar um cochilo. Deu fome, providencie algo pra comer, pare num restaurante... e aceite que o ritmo com crianças é outro. O que leva à próxima dica...

6- Aceite que o ritmo de viagem com crianças é outro
Especialmente se você estava acostumado(a) a viajar sozinho(a) ou em casal. Não vai dar mais pra conhecer 25 coisas diferentes no mesmo dia e ainda só ter uma refeição decente às 11 da noite. Esse sempre é o aspecto mais difícil nas nossas viagens, principalmente porque marido é desses que acha que tem que conhecer tudo, ir em tudo, emendar um programa no outro. Nós planejamos uma lista do que "tem que ser feito de qualquer jeito", adaptamos ao número de dias, e o que conseguirmos fazer a mais é lucro. Criança cansa, criança aprecia as coisas em outra velocidade, criança precisa ir ao banheiro nas horas mais inconvenientes, criança se diverte com coisas inusitadas... a dica é respeitar esse tempo, de modo que todos aproveitem sem se estressar.

7- Aproveite o tempo em família
Em que outra oportunidade podemos ficar todos juntos por tanto tempo? Ou dormir várias noites todos juntos? Na rotina normal, com escola, trabalho, horários pra dormir e acordar, dificilmente conseguimos ficar tão por conta dos filhos. Não costumamos ficar em resort e eu tenho um certo preconceito contra atividades monitoradas - afinal, eles estão sempre sendo monitorados em casa, na escola, não vejo sentido em monitorá-los no momento em que deveriam estar livres. Se é pra viajar livre de compromissos, prefiro deixá-los com os avós - e sou muito grata por ter essa opção.
Aqui os malinhas amam essa proximidade proporcionada quando estamos fora de casa, e nós encaramos como uma chance incrível de conhecermos melhor nossos filhos e fazermos uma "manutenção" na nossa intimidade com eles. Na nossa viagem mais longa, quase 15 dias fora de casa, foi até difícil desgrudar quando voltamos...

8- Encare as dificuldades com bom humor
Vai ter perrengue? Com certeza. Vai ter imprevisto? Sem dúvida. As crianças odiaram aquele lugar que você tinha certeza que iam amar? Vai acontecer. O lugar que vocês criaram toda uma expectativa em conhecer vai estar fechado bem na hora que conseguiram chegar nele? É possível que aconteça. Mantenha o bom humor e aproveite a oportunidade de explicar para as crianças que nem sempre as coisas saem como planejado (mesmo que resulte em chororô).

9- Viajar é aprender
Marido adora dizer que "a vida não pode ser um livro de uma página só" - querendo dizer que devemos variar nossos caminhos e experimentar tudo o que for possível. Aproveitamos as viagens para conversar com as crianças assuntos que nem sempre surgiriam naturalmente se estivéssemos na nossa rotina normal... Exemplos: porque há pessoas que não têm casa (quando vimos gente dormindo na rua); porque países diferentes falam línguas diferentes; porque não há zebras no pantanal (!!)... eventualmente recorremos ao Google, mas o legal é não deixá-los sem respostas. E eu tenho pra mim que conhecer lugares e pessoas diferentes, com olhos e coração abertos, sem julgamentos e com muito respeito, só traz benefícios para todos - adultos ou crianças.

10- Aproveite a chance de ver o mundo com olhos de criança
Eu não viajava quase nunca quando era criança, no máximo praia uma vez ao ano. Só fui viajar e pegar gosto por isso depois de adulta. Adoro poder dar aos meus filhos a chance de conhecer lugares diferentes enquanto são pequenos, por eles e por mim, que resgato a menina que não teve essas oportunidades. Amo ver como eles sentem e entendem as coisas, os detalhes que passam despercebidos por nós, adultos, como eles percebem o mundo e sua diversidade. Quando nos tornamos mães achamos que vamos ensinar muito, mas na verdade aprendemos na mesma medida, se não mais.

Um último conselho, que permeia todas as dicas acima: não tenha preguiça! Transforme o planejamento em prazer, os perrengues em piadas, os assuntos espinhosos que surgirem em oportunidades para que todos se conheçam melhor. Vale para viagens, vale para a vida!

Sigam as hashtags #dicadeviagemdemãe e #dicademaeviajante - certeza que vai ter muita dica boa, são muitas mães experientes dividindo seus macetes!

E um lindo dia das mães para nós e nossos malinhas!



*****Esse post faz parte de uma blogagem coletiva*****
Para ler os posts dos outros blogs participantes, clique nos links abaixo:

Comentários

  1. oi Cintia
    Muito bacana o teu post.
    Os itens 7 e 9 são especialmente importantes para nós.
    Adorei a sua expressão "fazer manutenção no relacionamento". rs
    Bjks
    Adriana

    ResponderExcluir
  2. Aaah! O mundo visto com os olhos de criança é tão mais lindo!! É uma dádiva essa oportunidade!

    ResponderExcluir
  3. Adorei o post, tem dicas ótimas! A gente também passou a viajar em outro ritmo, bem mais slow, depois que a Carolina nasceu. E nós também preparamos sempre uma mochilinha de surpresas, com bastante entretenimento, para as viagens. Ela adora! Beijos e Feliz Dia das Mães!

    ResponderExcluir
  4. Curtir um ritmo diferente, se aproximar da família, levar as adversidades com bom humor... Segredos de uma vida mais feliz! Adorei o post! Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Aproveitar o tempo em família é primordial. Adorei teu post.

    ResponderExcluir
  6. Eu também quase não viajei quando criança, somente para casa de parentes, só fui começar a viajar quando adulta. Hoje amo viajar e minha filha também segue pelo mesmo caminho. Ela não curte muito viajar de carro, muitas vezes enjoa, mas a gente tenta contornar. Adorei suas dicas, parabéns pelo post.
    Abraço e feliz dia das mães!

    ResponderExcluir
  7. Encarar dificuldades com bom humor numa viagem é tudo! Soma-se a isso ter paciência, respeitar os limites de todos e ainda conjugar interesses! Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  8. otimas dicas e viajar para onde todos gostam é fundamental

    ResponderExcluir
  9. Adorei seu post e acho que o melhor das viagens em família é o tempo que passamos juntos e o quanto aprendemos!!!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  10. "Encare as dificuldades com bom humor" - perfeito!!!
    Os perrengues viram uma história para contar depois e alguns casos uma história engraçada para lembrar. Adorei seu post!!!! :*

    PS: Podes consertar o meu link na participação, era do Espelho de Si, mas houve uma alteração no Domínio, o blog chama-se Viagens e filhos agora e o link é:
    http://www.viagensefilhos.com.br/2017/05/bc-10-dicas-de-viagem-que-so-uma-mae.html

    ResponderExcluir
  11. Cintia, como me identifiquei com seu texto! Fiquei até emocionada! Tb não viajei muito quando criança e sinto um privilégio danado em poder proporcionar isso pra minha filha. E seu marido está certíssimo com o que diz na dica 9! E o final do seu texto, ah... perfeito! AMEI mesmo! Beijos e parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal que gostou, Fernanda! Também me identifiquei com o que vc escreveu, não tenho mais bebê mas os meus sempre foram acostumados a comida e leite à temperatura ambiente. O período mais difícil, na minha opinião, é entre 6 meses e 1 ano e meio, porque ainda não comem qualquer coisa, depois disso fica mais fácil... apesar que com o meu mais novo essa história de comida ainda não é fácil, ele quer arroz e feijão onde quer que vá, tadinho rsrsrs. Beijo grande!

      Excluir
  12. Lembrar que numa viagem com os filhos o ritmo é outro é imprescindível para aproveitar com leveza toda a viagem.

    ResponderExcluir
  13. Cíntia, gostei muito das suas dicas! "Viajar é aprender" é um mantra pra mim! Bjks

    ResponderExcluir
  14. Adorei suas dicas e concordo que a viagem com crianças precisa ser mais tranquila porque elas precisam de tempo para curtir. bjs

    ResponderExcluir
  15. Escolher destinos inusitados é uma ótima dica. Sair da caixinha! Valeu pelas dicas.

    ResponderExcluir
  16. Oi Cíntia, as dicas todas foram muito valiosas! Conversar com as crianças para que eles entendam o que vai acontecer é mesmo essencial. Encarar as dificuldades com bom-humor também é muito sábio, não adianta nada "chorar sobre o leite derramado!". O conselho final da preguiça fechou com chave de ouro! Parabéns pelo post :) Bjs dos 4 Ases

    ResponderExcluir
  17. Dicas Incriveis. Muitos detalhes que nem imaginamos.
    Excelente Post.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A mais longa viagem de todas - Punta del Este e Gramado a 4 - Roteiro e Preparativos

Dicas de Campos do Jordão - com e sem malinhas